by acls online
UK Bookmakers
Imprimir

Participação da Juventude Brasileira na Conferência Mundial da Juventude no Sri Lanka

Escrito por Debora Souza. Publicado em Notícias

De 6 a 10 de maio acontecerá a Conferência Mundial da Juventude no Sri Lanka, cujo tema é “A integração dos jovens na Agenda de Desenvolvimento Pós-2015”. A conferência tem por objetivo ser uma plataforma de discussão e troca de experiências para a criação de estratégias e mecanismos para a participação da juventude na implementação e monitoramento da Agenda Pós 2015, e é claro que a Coalizão vai acompanhar tudo o que estará rolando por lá! Melhor ainda: uma de nossas articuladoras foi escolhida para fazer parte da delegação oficial do governo brasileiro.

O evento vai contar com a participação de cerca de 1500 pessoas e pelo menos metade será de jovens. O governo do Sri Lanka selecionou 350 jovens de grupos marginalizados do mundo todo, e cada um dos países participantes levará dois jovens delegados para representar sua juventude.

No Brasil, o processo de seleção foi liderado por um comitê composto por representantes da Secretaria Nacional de Juventude, do Conselho Nacional de Juventude, ONU Brasil e Secretaria Geral da Presidência da República, que receberam inscrições de jovens de 19 estados e basearam sua escolha no equilíbrio de gênero da delegação, na representatividade desses jovens em diversos movimentos de juventudes atuantes no Brasil e sua experiência com pautas de juventude, Metas do Milênio e processos multilaterais. Os escolhidos foram Debora Souza, membra da Coalizão e coordenadora do grupo de trabalho sobre o Pós 2015 do Engajamundo, e Diego Agostinho Callisto, integrante da Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/AIDS, assessor do Fórum Consultivo de Juventude (YAF) do UNAIDS e coordenador regional da REDLACJ+ Rede Latinoamericana de Jovens Positivos.

 

Mas isso não significa que outros jovens não poderão participar ativamente também! A Secretaria Nacional da Juventude disponibilizou, através da plataforma online Participatório, uma consulta pública para discussão do documento-base da Conferência e todos podem contribuir com ideias e opiniões. É só fazer parte da comunidade da Conferência Mundial da Juventude no Participatório e botar a mão na massa. Use também a hashtag #ConsultaColombo para participar das discussões nas redes sociais.

A matéria com o anúncio da seleção dos participantes está disponível aqui.

  

A Coalizão estará por dentro de todas as novidades, então fique ligado!

 

 

Imprimir

Qual o papel da sociedade civil na Agenda Pós-2015?

Escrito por Luciano. Publicado em Notícias

A comunidade internacional está se mobilizando para o início das negociações internacionais que definirão uma nova agenda global de desenvolvimento, estabelecendo objetivos de desenvolvimento sustentável para todos os países.

Muito foi feito nos últimos dois anos - consultas, diálogos, fóruns e oficinas -, mas como a sociedade civil pode se organizar estrategicamente para incidir efetivamente nas definições dos governos para a Agenda Pós-2015?

Para nos ajudar a pensar sobre o assunto, e começarmos a definir ações conjuntas por parte das organizações e movimentos sociais no Brasil, gostaríamos de convidá-l@ para um bate-papo com o Danny Sriskandarajah, diretor geral da CIVICUS (Aliança Global para Participação Cidadã - www.civicus.org), umas das organizações que está à frente das articulações internacionais da sociedade civil nas discussões do Pós-2015.

O Danny, estará em São Paulo de passagem, e reservou a terça-feira, dia 18/03, das 9h às 12h, para compartilhar experiências e se articular com a sociedade civil brasileira.

 

Trocaremos ideias sobre:

 

- A participação da sociedade civil na construção da nova agenda de desenvolvimento global - prioridades, metas e oportunidades;

- Os pontos-chaves para potencializarmos a ação coletiva;

- A transparência e o monitoramento dos objetivos e metas da nova agenda.

 

Esperamos contar com sua presença! Por favor, confirme aqui sua participação:

http://goo.gl/008TJ0

 

ONDE:

Vitae Civilis Instituto para o Desenvolvimento Meio Ambiente e Paz

Rua Itápolis, 1468 - Pacaembu  (metrô mais próximo, Paulista!)

São Paulo - SP / CEP 01245-000

Tel/Fax:  (11) 3662-0158 

Imprimir

Participação em processos de decisão "Um direito, não um privilégio"

Escrito por Luciano. Publicado em Notícias

com conteúdo de Plan EU


No final do ano passado, na Bélgica, aconteceu o Painel de Alto Nível liderado por jovens sobre Governança Inclusiva - pós-2015. A seguir um resumo do diálogo que contou com a presença de um de nossos membros. O painel foi filmado e pode ser visto, na íntegra, aqui.

 

A participação deve ser mais do que um mero símbolo. Essa foi a mensagem tanto dos participantes quanto do público no Painel de Alto Nível, liderado por jovens, em Governança Inclusiva no pós-2015, organizada pela Plan e Visão Mundial, em colaboração com os parceiros, nas Jornadas Europeias do Desenvolvimento 2013 (European Development Days, em inglês), que aconteceu em Bruxelas, Bélgica, nos dias 26 e 27 de novembro de 2013. O painel foi focado em como garantir a participação significativa de jovens, responsabilização e combate à corrupção, seguindo uma consulta global em que os próprios jovens identificaram estes como os principais problemas a serem abordados na elaboração do quadro de prioridades para substituir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio que expiram em dois anos.

"No momento somos vistos como tendo privilégios, não direitos. Precisamos mudar essa percepção. É nosso direito de estarmos envolvidos e interagindo nos processos [do pós -2015]”, argumentou Luciano Fontelle de Paula Filho, 23, da Coalizão Brasileira de Jovens pelo pós-2015. "O fato de que jovens embaixadores estiveram presentes no evento é um passo a frente em relação aos anos anteriores. No entanto, conta pouco, se este é o fim de seu engajamento no processo", disse Alexandra Makaroff, Chefe de Gabinete da Plan Europeia, nos bastidores do debate.

“É justamente este grupo que será mais afetado pelas decisões tomadas agora, e nós precisamos garantir que seus pontos de vista e experiências são ouvidos e refletidos na futura estrutura de desenvolvimento sustentável pós-2015."

A informação deve ser acessível

Várias barreiras impedem atualmente a participação dos jovens nos processos de tomada de decisão, quer a nível local, nacional, regional ou internacional. Falta de vontade política, a discriminação e a falta de estruturas formais foram todos citados como desafios que os jovens enfrentam ao se envolverem em debates que os afetam.

Insuficiente - e muitas vezes incompreensível – a informação também foi mencionada, com Fontelle argumentando que a informação não está disponível nas plataformas que são acessíveis aos jovens.

"Quantas pessoas visitam o Facebook diariamente? Quantas pessoas usam o Twitter diariamente? Quantas pessoas vão para o site do seu governo local diariamente?", questionou. "Estamos em espaços onde os governos locais não estão. Eles estão perdendo a oportunidade de estar envolvidos conosco, onde estamos nos engajando com os outros".

No entanto, com um enorme hiato digital - 4,7 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso à internet - ele acrescentou que plataformas de mídia social só pode ser uma ferramenta, não uma solução. "As mídias sociais são apenas uma parte de uma ampla gama de soluções e ações que devemos tomar a fim de termos as opiniões dos jovens em conta", disse ele.

Ele acrescentou que devem ser feitos esforços adicionais para assegurar os grupos marginalizados e excluídos, como os jovens com deficiência, sejam capazes de participar de forma significativa nos processo de tomada de decisões.

A necessidade de prestar contas

Prestação de contas dos governos aos cidadãos foi o assunto de muito debate durante o painel, com o amplo consenso de que a responsabilização significa mais do que simplesmente publicar informações.

“Prestação de contas não é sobre a colocação de documentos em sites e esperar que as pessoas vão olhá-los e compreendê-los. Para mim , é sobre a tomada de decisões em conjunto, cumprir o que foi prometido e receber feedback dos cidadãos", destacou Fontelle. Esse feedback, acrescentou, deve vir de todos afetados, independentemente da idade ou outra circunstância.

Se a prestação de contas é para ser completa, reclamações da população terão de ser abordadas - muitas vezes através do sistema de justiça – e a reparação oferecida como apropriado.  

Imprimir

Construindo a Manaus que se quer - Jovens construindo o futuro agora!

Escrito por Luciano. Publicado em Notícias

Projeto Oito Maiores Problemas de Manaus é lançado na capital Amazonense

 

Através do último Fórum de Jovens Líderes do Amazonas que aconteceu no dia 21 de Dezembro de 2013, foi estabelecido a realização de uma pesquisa com a população da capital amazonense para elencar os 8 maiores problemas de Manaus. Essa pesquisa tem por objetivo a criação de projetos independentes para melhoria dos problemas que serão levantados. A quantidade de oito dar-se pela alusão ao projeto da ONU dos Oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio para o Mundo (ODMs).

Fases do projeto

A primeira fase acontece entre o dia 02 de Janeiro ao dia 14 de Fevereiro, onde serão coletada as respostas para a seguinte pergunta "Para você, quais são os 3 (três) maiores problemas de Manaus?", além da pessoa responder em qual bairro ela mora. Essa fase terão respostas vindas de manauaras que colaborarão virtualmente através do link http://bit.ly/OitoProblemas, através de pesquisa por telefone ou na rua, com a ajuda de todos os grupos envolvidos.

A segunda fase será análise e apresentação dos resultados no dia 15 de Fevereiro na reunião do Fórum de Jovens Líderes do Amazonas. Neste dia será discutido entre os jovens líderes os possíveis projetos que trazem uma solução, fiscalização e monitoramento aos problemas que foram apresentados em resultado a pesquisa.

A terceira e última fase será a de execução, onde será apresentada à Prefeitura de Manaus e ao Governo do Estado do Amazonas uma carta sobre os resultados e projetos que serão realizados dentro de cada um dos grupos. Visando uma melhor execução das atividades, haverá frentes de treinamentos e palestras para a comunidade os mostrando caminhos sustentáveis para criação de projetos. "Queremos, com isso, aumentar o impacto nas diversas regiões de nossa cidade.", afirmou Dhyene Vieira, que faz parte do Fórum de Jovens Líderes do Amazonas.

Sobre o Fórum de Jovens Líderes do Amazonas

A partir de uma reunião com vários jovens líderes do Amazonas, foi criado no dia 21 de Dezembro o Fórum de Jovens Líderes do Amazonas. Em reuniões bimestrais, o grupo formado por jovens de 18 a 35 anos que são ou foram líderes de grupos ou entidades, se reúnem com o intuito de discutir e compartilhar ideias, para que de forma coletiva criem projetos e ações para a melhoria da cidade de Manaus deixando um legado para as futuras gerações. Estão fazendo parte e/ou colaborando com a iniciativa de alguma forma: CDL Jovem, CREA Jovem, AJE, CAI (OAB/AM), Movimento Juventude Protagonista, React and Change, MEU - StartupAM, Global Shapers, Comunidade Designers Manaus, Embaixadores do Movimento CHOICE em Manaus, Capitães do Imagina na Copa em Manaus, Tchibum, AIESEC, Trânsito Manaus, SEMJEL (PMM), FabriQ Aceleradora, One Publicidade, INOVEPRO, Empresa Junior Laureate, Waikiru Empresa Junior, Efetiva UEA (Empresa Júnior).

The Best betting exchange http://f.artbetting.netby ArtBetting.Net

Mobile

Tenha o site do Pós 2015 Brasil com você aonde você for!
Site disponível para celulares e tablets!

Vídeo

All CMS Templates - Click Here